<b>Brasil Campeão Mundial 2 x - há 5 anos</b> - CBA - Comissão Brasileira de Agility
Brasil Campeão Mundial 2 x - há 5 anos
Notícia publicada dia: 30/09/2013
Há cinco anos atrás, 27 de setembro de 2008, o Agility Brasileiro vivia o final de semana mais vitorioso da história do país em mundiais com dois títulos por equipes no Mundial FCI 2008 disputado na Finlândia.

Empurrados pela ótima atuação de 2007, quando a equipe Midi terminou no pódio, terceiro lugar, cinco anos depois do primeiro e título mundial de 2002, a equipe de 2008 era realmente forte, com ótimos cães em todas as categorias. O desempenho por times foi excelente colocando todos entre os melhores. Só os Midis não receberam medalhas em 2008.

Com uma equipe bem parecida com a que esteve na Noruega em 3º lugar, os midis tiveram alguma dificuldade. Em 2007 Alex/Tyller, Aurélio/Cacau e Samy/Dana (os dois primeiros cães da raça Pastor de Shetland e o terceiro uma Border Collie), devolveram o Brasil para a posição de destaque na maior competição FCI. Desde o título de Campeão Standard em 2002 o Brasil não aparecia no Top3 de nenhuma categoria.

A posição de destaque foi um trampolim para o amadurecimento de várias duplas em 2008. A equipe era bem parecida com a do ano anterior, mas tinha mais duplas e a delegação era maior. Se isso ajudou, ou não, jamais saberemos, porém o resultado foram dois títulos mundiais, mais uma 6ª colocação. Todos resultados por equipes.

Só que o Mundial 2008 começou com um grande drama. Chester, cão conduzido por Samy, Border Collie Standard, acabou machucado antes mesmo do exame veterinário. Num incidente infeliz fora de pista o cão acabou machucado. Ocorre que Chester era o Campeão Unificado Grau 3 do IX Campeonato Brasileiro, o melhor cachorro da temporada anterior.

De última hora José Luiz Filho, técnico da seleção, teve que substituir Samy/Chester na equipe. A dupla escolhida foi Bruno/Gaya. Completavam o time Standard o próprio José Luiz com Dino e Samir com Dino Brown.

Entre os minis tudo 100%. A equipe formada por Alex/Skipper, Kátia/Candy e Paulo/Blanka, sem dúvidas foi a mais forte que o Brasil já teve. E demonstrou isso em pista.

Voltando aos standards...

O Jumping por equipes foi de muita espera. A esquadra brasileira foi apenas a 26ª em pista na madrugada de sexta-feira no Brasil. Após entrar, sempre existe uma espera pela publicação dos resultados, o Brasil na primeira colocação. Inacreditável. A torcida no Brasil, que na época acompanhava tudo pelo finado MSN, delirava. Era um sonho.

Depois mais quatro equipes entraram e nenhuma conseguiu superar os nossos tempos.

Mas isso não era tudo. Na pista seguinte foi a vez dos Minis afundarem a tabela toda, superando a equipe Alemã em dois décimos. Se nos standards ainda tivemos equipes mais rápidas e com faltas, nossos pequenos voaram com três pistas zeradas e do topo da tabela não se via nenhum país mais rápido.

Aquela manhã de sexta-feira foi fora do comum. Nem o mais otimista poderia imaginar que ao final do dia o Brasil teria dois primeiros lugares e uma 7ª posição com o time Midi.

A vantagem para o sábado seria a inversão, os primeiros do jumping são os últimos no Agility. Entrando em pista com a noção exata de como os outros times foram. E lá foram os standards para os últimos três percursos de 2008 por equipes. Para ter ideia de como foi basta ver o vídeo abaixo:

Encerrada a comemoração dos grandes era a vez dos Minis voltarem para a vida real e concentrar para o Agility. Com chances reais de mais um pódio. Como ficar centrado depois de ver os companheiros de time Campeões Mundiais? Imaginem a pressão que foi para Alex, Paulo e Kátia? Alex já sabia o caminho para o pódio, esteve lá no ano anterior, Paulo já estava em seu terceiro mundial, mas e a Kátia? Estreante.

O Brasil entraria em pista com a possibilidade de fazer duas faltas e ficar com o Bronze, uma falta para ficar com o a parta e teria que zerar para ficar com o Ouro. Bem mais apertado que no Standard a disputa do Brasil Mini era com ele mesmo. Velocidade havia, sem dúvidas, até por isso a primeira colocação no Jumping, mas a preocupação maior era a cabeça da galera.

Do Brasil ninguém imaginaria um 1º lugar no STD e depois um 1º lugar no Mini. Todos pensaram "ah, dá pra ficar em 2º ou 3º". Porém nossos baixinhos foram além da torcida e conquistaram o segundo título mundial do Brasil em 2008, terceiro na história e quarto pódio desde 1999 quando começamos a participar.

As faltas da Rússia, que antes do Brasil entrar estava no primeiro lugar, somadas eram 4,68. Uma barra, uma zona, um refugo besta e já era o primeiro lugar. No final foram três pistas zeradas, contando o jumping seis, e o título incontestável.

O time Midi terminaria ainda na 6ª posição.

Terminado o WC2008 da Finlândia subimos da 19ª posição no quadro de medalhas para a 10ª. Os três títulos mundiais nos colocavam na frente de países como Alemanha, Suécia e Inglaterra. Foi um Mundial extraordinário. Tudo isso há cinco anos atrás.

CBA

Veja aqui a equipe que esteve na Finlândia em 2008


Central de Carteiras
Últimas Solicitações
Renovação de Carteira
Novas Carteiras
Buscar uma Carteira
Noticias