<b>Aquecimento e relaxamento para o cão</b> - CBA - Comissão Brasileira de Agility
Aquecimento e relaxamento para o cão
Notícia publicada dia: 12/12/2013
O aquecimento dos cães tende a ser negligenciado antes de treinos e competições, onde frequentemente os cães são tirados das caixas de transporte direto para a pista. Embora existam poucos trabalhos publicados sobre o assu nto, já foi comprovada a importância do aquecimento e do resfriamento do cão antes e após o exercício, respectivamente, para prevenção de lesões e melhora da performance. Contudo deve-se tomar cuidado com o tipo de aquecimento utilizado, já que nem todos são indicados para os cães de Agility. O mesmo deve incluir movimentos que simulem a atividade a ser exercida pelo animal.

O objetivo do aquecimento é aumentar a temperatura corporal e o fluxo sanguíneo, preparar os músculos, tendões, ligamentos e o sistema nervoso para o exercício. Além de melhorar a capacidade cardíaca e respiratória do cão.

O alongamento também é importante na rotina de aquecimento dos cães de Agility, porém deve-se tomar cuidado com o tipo de alongamento a ser realizado. Em estudos realizados com atletas humanos já foi comprovado que o melhor tipo de alongamento para aumentar a performance em esportes que envolvem flexibilidade e saltos, é o alongamento dinâmico (onde se alonga através do movimento), já que o alongamento estático (onde os membros são colocados passivamente na posição alongada) pode relaxar demais a pessoa e prejudicar seu desempenho. E o mesmo ocorre com o cão.

Um bom aquecimento para o cão de agility é aquele que prepara o animal sem criar fadiga, e pode incluir: 2-3 minutos de caminhada e trote, um pouco de "pega-pega" de um lado para o outro e/ou "cabo-de-guerra", seguido de alongamento dinâmico usando alguns truques como reverência, gira, cumprimenta e dar a pata, que simulam a flexão e extensão que o cão vai precisar durante a atividade. Se o aquecimento for muito longo ou muito intenso a performance pode ser afetada pela fadiga muscular, além de causar queda das reservas de energia, aumento dos níveis de ácido láctico e aumento excessivo da temperatura corporal. O aquecimento deve ser feito alguns minutos antes do cão entrar em pista, isso permite que o cão se recupere da fadiga temporá ria sem perder os benefícios do aquecimento.

Após o exercício é importante garantir ao cão um período de relaxamento, par a garantir que o corpo tenha tempo para retirar o ácido láctico dos músculos. Esse período também ajuda na normalização da pressão arterial e no relaxamento gradual das estruturas envolvidas no exercício. Um bom relaxamento consiste na diminuição gradativa da intensidade do exercício, como trote seguido de caminhada, uma breve massagem pelo corpo do cão e, então, movimentação passiva das articulações, que nada mais é, do que mover os membros do animal, com ele deitado de lado, simulando o movimento da caminhada. Agindo preventivamente podemos prolongar a vida útil de nossos atletas e torna-los mais competitivos no esporte. Além de garantir uma boa qualidade de vida para aqueles que são, além de atletas, membros da família.

Dra. Júlia Afonso Ávila de Menezes
Médica veterinária

Formada em medicina veterinária pela Faculdade de Jaguariúna (FAJ) em 2012;
Especialização em Quiropraxia veterinária pelo Ibra em 2013;
Fez o curso intensivo de fisioterapia veterinária (2011) e o curso internacional e avançado de fisioterapia veterinária (2012), ambos pela Fiso Care Pet;
Está direcionando seu trabalho para a medicina esportiva canina;
Atualmente compete no grau 2 do agility com o Audi, seu Border Collie.

Central de Carteiras
Últimas Solicitações
Renovação de Carteira
Novas Carteiras
Buscar uma Carteira
Noticias