Teoria e pratica no Américas e Caribe - CBA - Comissão Brasileira de Agility
Teoria e pratica no Américas e Caribe
Notícia publicada dia: 02/04/2008
Antes de tudo, gostaria de destacar a união dessa equipe que pode ser vista nas fotos e confirmada nos depoimentos contidos principalmente no Fórum da CBA. Outro ponto que gostaria de destacar é a presença de Dan Wroblewski nesta equipe, ele só não esteve presente em 2002 no A&C da Colômbia, Argentina 2008 foi sua sexta participação, e a do Billy Boy único cão que esteve em 2000 e em 2008. Na primeira vez com Samir e na segunda com Jorge Pais. Teoria e pratica são coisas totalmente diferentes, certo? É comum escutarmos "na pratica a teoria é outra". Só que esse Américas e Caribe que acabamos de ver, no meu caso ler, mostrou que toda a regra tem sua exceção e o Brasil provou isso em pista. Teoricamente o Brasil era favorito e na pratica confirmou o favoritismo.

Três fatores foram decisivos para o sucesso Brasileiro em Buenos Aires na minha opinião:

1. capacidade técnica;
2. força de vontade;
3. humildade.

Porque:

1. O 1º Américas e Caribe foi em Buenos Aires (2000), o melhor resultado do Brasil foi um 2º lugar de uma dupla Mini (Hélio/Kim/Terrier Brasileiro). Vejam o que oito anos são no Agility, porém ninguém ficou sentado esperando que as técnicas viessem até nós, nananão, corremos atrás;

2. Deslocar 26 condutores, 30 cães, mais torcida (!) de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Sul é um esforço imenso, as distâncias variam de 1000 a 2700km, o Brasil é muito grande, um país continente, não é fácil, sem falar no custo monetário. Logística nota 10;

3. Faz algum tempo que podemos ser considerados uma potência.do Agility Sul Americano, podemos dizer das américas, com título Mundial Standard e Pódio Midi (3º lugar). Potência é uma palavra muito forte dentro do esporte (basicamente é um acúmulo de algo), qualquer um poderia subir num salto, seria natural. Mesmo assim a preparação para esse Américas e Caribe foi feita não apenas nos treinos da seleção, que convocou os inscritos para participar juntamente com os pré-selecionados ao Mundial 2008, estendeu-se aos treinos das escolas.

Esse tripé foi responsável pelos inúmeros resultados durante a competição toda, desde as primeiras provas para cães grau 1, passando pelo Open e terminando com o Américas e Caribe. Nunca uma equipe havia se imposto dessa forma fora de seu país.

Pra exemplificar vamos ver os pódios do Américas e Caribe Individual. A premiação ia do 1º ao 4º lugar. Das 12 posições possíveis o Brasil conquistou 10! Argentina e Colômbia tiveram uma cada. No Standard 100% Brasil, no Midi 1º, 2º e 4º lugares, no Mini 1º, 2º e 3º. 

Entre os times os resultados não foram muito diferentes. Minis e Standards conquistaram os títulos e o Midis ficaram com o vice.

Eu poderia imaginar uma situação favorável para o Brasil, pensei positivamente, como torcedor que poderíamos conquistar o primeiro de cada categoria, mas nunca pintar um quadro como esse de tantas conquistas. E se o piso fosse outro alguém arriscaria resultados ainda melhores para o Brasil?

Em abril de 2009 o encontro está marcado, de 16 a 19 de abril, 9ª edição do Américas e Caribe, que pela segunda vez será realizado no Brasil, porém antes disso temos que torcer pelo Brasil no Mundial da Finlândia.

Grande abraço e parabéns Brasil.

Fabiano Estigarribia


Central de Carteiras
Últimas Solicitações
Renovação de Carteira
Novas Carteiras
Buscar uma Carteira
Noticias