<b>Na pré pista:</b> Edu e Jatobá - CBA - Comissão Brasileira de Agility
Na pré pista: Edu e Jatobá
Notícia publicada dia: 03/11/2008
Sei que a última matéria do ‘Na Pré Pista’ saiu a pouco tempo, porém considerem essa matéria como uma “Edição Especial”.

Em todas as provas que estive, vi grande parte das pessoas ficarem de pé e torcerem em todas as vezes que o famoso Billy Boy entrava em pista. Embora sempre tenhamos alguma dupla que gostamos e torcemos, essa “unanimidade” acontece em poucos casos. Hoje em dia, vejo o mesmo acontecer com um neto do nosso querido Billy Boy. Difícil saber qual, afinal temos muitos netos do Billy Boy no nosso Agility (ainda bem!). O que falo, nesse caso, é do Jatobá, o Border Collie cego de um olho, do Edu.

O Jatobá é filho da Honey, do Edu, com o Loko, da Vitória. Aos 2 meses, o Edu descobriu que realmente o Jatobá tinha um problema de má formação do olho. “Decidi que não iria vender esse cachorro, afinal quantos estão disponíveis a aceitar uma responsabilidade dessas?”, disse Edu. A alternativa, então, foi a doação. “Queria que ele estivesse próximo de mim, assim poderia ver como ele se desenvolveria. Resolvi doá-lo ao meu irmão, para poder acompanhá-lo e ajudar no que fosse possível. Porém, meu irmão se separou de sua mulher e não podia ficar mais com o cachorro. Resolvi então procurar outro dono para ele.”

Após um bom tempo de procura, Edu resolveu comentar com a Dalila sobre a sua decisão. “Eu não podia ficar com esse cachorro, não estava nos meus planos. Expliquei a situação para a Dalila, que treina conosco. Ela dizia que acreditava no potencial do Jatobá, que eu e ele juntos poderíamos fazer um trabalho muito legal, e que ela ajudaria financeiramente em qualquer coisa que o Jatobá precisasse. Com o apoio da Dalila, resolvi ficar com ele.”, relembra Edu.

Questionado sobre as dificuldades que teve em seu treinamento, Edu explica: “O Jatobá hoje não tem nenhum problema de profundidade, entende tudo muito bem, mas é muito sensível a qualquer movimento meu. Ele teve as mesmas dificuldades de treinamento de qualquer cachorro ‘normal’, com exceção do salto em distância, que eu adaptei para ensiná-lo. Hoje ele sabe todos os obstáculos muito bem e para facilitar a condução, ensinei dois comandos direcionais (o ‘Gi’ e o ‘Vira’) para que ele saiba para onde virar e olhar para mim, embora precise usar mais isso em pista (risos)”.

Edu relembra da carreira do Jatobá, desde o Grau 1 até o Grau 3. “Em poucas provas chegamos ao Grau 2, zeramos as duas pistas na etapa final do Campeonato Paulista 2006/2007, assim vencemos o Grau 1 Standard e chegamos ao Grau 2. Do Grau 2 para o Grau 3, conseguimos um Combinado Zerado na Copa do Brasil e outro ainda na 2ª Copa CBA. Só resolvi rebaixá-lo de volta ao Grau 2 porque EU estava atrapalhando muito ele (risos).”

Perguntei ao Edu, então, sobre o que planeja para o futuro do Jatobá. Ele respondeu, como sempre, sorrindo: “Hoje estou me divertindo muito no Grau 2, conseguimos um combinado e o 3º lugar na última etapa da Copa CBA. Quero competir com ele até quando ele quiser, temos muito tempo pela frente. O Jatobá é um cachorro show que só me dá alegrias!”

Renan Campos

Ps: Além do cachorro ser espetacular, o que podemos falar do Edu? Alguém já imaginou alguma prova sem ele, que levanta mais cedo para que, quando chegarmos lá, esteja tudo em ordem? Que não pára um segundo na montagem de pista? Que divide seu tempo entre organizador e competidor? Que não liga de qual escola você é, sempre tem um conselho ou uma brincadeira?

O Edu é daquelas pessoas que realmente vivem o Agility como uma diversão, é a mostra total da integração entre dono e cão.

Tenho uma dívida pessoal com o Edu, se não fosse por ele, não estaria no Agility hoje. Edu, obrigado por tudo!

Central de Carteiras
Últimas Solicitações
Renovação de Carteira
Novas Carteiras
Buscar uma Carteira
Noticias