<b>Na secretaria:</b> com Annie - CBA - Comissão Brasileira de Agility
Na secretaria: com Annie
Notícia publicada dia: 08/01/2009

Fundamental para o funcionamento das provas, a Secretaria da CBA está sempre presente e trabalhando duro. Quem vê a prova acontecer não sabe quanto tempo antes o trabalho da Secretaria começa e quanto ele se estende após o final das competições, entre súmulas, planilhas, pagamentos e vacinas. Quem sai da prova muitas vezes não vê quem fica até mais tarde, ocupados terminando todos os resultados.

Para que todos conheçam mais esse importante “pedaço” do Agility brasileiro, entrevistamos a Cibele e a Annie.

Confira agora a entrevista com a Annie!

Clique aqui para ler a entrevista com a Cibele.

“Comecei na secretaria de uma forma bem interessante. Em 2004, foi realizada uma prova oficial em uma cidade próxima ao Rio de Janeiro – Cordeiro – cujo juiz foi o Dan Wroblewski. Lá foi meu primeiro contato com o ambiente de secretaria (e a primeira prova que meu marido, Jorge – participou com nossa cadela labradora chocolate – Camillie). Logo depois aconteceu o World Dog Show – Rio de Janeiro – Riocentro. Diga-se de passagem, este foi o maior e melhor evento de Agility que vi e participei, até hoje. Público, organização, beleza... Tudo maravilhoso! Neste evento, além de dar uma ajuda na secretaria, fiz minha primeira locução em prova de Agility! Foi muito legal!

Lembro que numa prova, no Brasil Cão Resort, cheguei à secretaria e ofereci ajuda. Lá estavam a Cilinha, Cibele, Magali e Cecília. Imagine, eu, sem experiência nenhuma, queria ajudar, mas não sabia como! (Acho que, muitas vezes, até atrapalhei, pois elas tinham que parar o que estavam fazendo para me ensinar o que fazer).

O programa de resultados das provas era diferente nos dois estados.

Em São Paulo a secretaria funcionava “redondinha”. Era total entrosamento da equipe e muito trabalho, pois, como até hoje, o número de inscritos sempre foi maior.

No Rio de Janeiro, na época, não havia Campeonato Regional e estávamos usando um programa que foi desenvolvido pelo nosso atual Coordenador Nacional – Fernando Leibel. As coisas estavam “engatinhando”! Eram programas diferentes mas ambos não tinham os recursos que agora temos!

As súmulas! Ah ... As súmulas!Usávamos duas para cada dupla e isso gerava um volume muito grande de papel e de trabalho! As Carteiras de Trabalho também tomavam muito tempo pois precisavam ser separadas por categoria e grau para facilitar a colocação das etiquetas de resultados.

Havia também os Coletes! Eram separados por escola, entregues ao responsável, e no final da prova, recolhidos e conferidos.

Não. Entre as semelhanças entre o Campeonato Carioca e as etapas nacionais, agora há um programa único para geração de resultados, o que difere mesmo é o número de duplas.

Além disso, nas etapas nacionais há um grande número de duplas nos graus 2 e 3 e, pelas regras, o TSP da prova é determinado pelo tempo da dupla mais rápida e sem faltas de tempo nem de percurso +10%. Assim, o juiz estipula o TSP que serve apenas de base, mas a tensão pode ir até a última dupla entrar em pista – o que já vi ocorrer algumas vezes.

Como no Rio de Janeiro não fazemos o open 2 e 3 e temos poucas duplas no Grau 3, a emoção é muito menor!

Os condutores podem ajudar e muito a secretaria. Um dos problemas que vejo em todas as provas são os cronometristas. Nas provas, mesmo se houver fotocélula, é necessário a presença de 2 cronometristas. Sempre precisamos solicitar ajuda! Tenho certeza de que, se cada escola determinar uma pessoa em cada prova, ganharemos tempo e não ficará cansativo para ninguém!

Outra coisa que agora será muito importante é a pré-pista. Já pensando no Américas & Caribe de 2009, a locução passará a anunciar a dupla que irá entrar em pista e apenas a que deve aguardar na pré-pista. Todos então devem estar atentos a seu posicionamento, para que a prova transcorra bem.

E, o mais importante, que entendam que a secretaria apenas lança e valida o que o juiz, autoridade soberana em pista, determina. Assim, as dúvidas e questionamentos devem ser direcionados aos supervisores de prova para as devidas providências.

Esperamos para o Américas & Caribe fazer nosso trabalho com o mesmo empenho e dedicação que fazemos em todas as provas e mostrar a todos os competidores de outros países, que o Brasil possui a melhor secretaria de provas de Agility do mundo!

Vou deixar agora dois recados. Primeiramente dizer que algumas vezes não temos como dar a atenção que querem e merecem.

Entendam! A secretaria é o coração de uma prova de Agility! De nada adianta um resultado em pista se esse não for devidamente lançado, publicado e validado. E essa é a nossa função, também!

A secretaria trabalha com as súmulas e com dois computadores! Mas os resultados são conferidos para que não gerem nenhuma dúvida. É um momento que exige muita atenção! Assim, por vezes não somos tão cordiais com os condutores que vêm a nós em busca de resultados!

E, o segundo é: treinem!Treinem bastante!

Em abril de 2009, o Brasil será o palco de uma importante competição internacional e nós vamos fazer deste Américas & Caribe, um evento inesquecível!”

Annie

*Introdução: Renan Campos
renan@agilitybr.com.br

Central de Carteiras
Últimas Solicitações
Renovação de Carteira
Novas Carteiras
Buscar uma Carteira
Noticias