AMÉRICAS E CARIBE 2009 - SÃO PAULO - BRASIL
EM BREVE
EO Experience com Cibele Langone

Estamos iniciando uma nova sessão de entrevistas, dessa vez o assunto é o Aberto da Europa (European Open) e ela vai se chamar EO Experience.

Vai ser uma série de entrevistas com os brasileiros que já tiveram a oportunidade de estar nesta competição tão badalada no velho continente.

Pra iniciar essa sessão escolhemos uma pessoa que não compete, mas tem muitos anos de agility na bagagem e já viveu muita coisa no esporte.



Cibele Langone, ou simplesmente Cibele, dispensa apresentações, por anos vem ajudando o agility de várias formas e a prova de que faz isso por amor ao esporte, são as viagens que ela fez para acompanhar de perto campeonatos como Américas e Caribe, Mundiais e EO´s.

Foram duas experiências no EO e ela nos conta agora qual é a visão dela sobre a competição.

CBA: Você foi chefe de equipe do Brasil nas duas oportunidades que foi para o Aberto da Europa (European Open)? Como foi a experiência?

Cibele Na realidade, fui chefe de equipe de 2 pessoas (Samir e Antonella) no ano passado e no ano retrasado, na Áustria, foi a Connie (do Boris).

Mas foi muito legal, uma experiência diferente dentro do Agility, me senti peixe fora d´água por que lá, todo mundo se conhece e eu, uma ilustre desconhecida. Mas tudo deu certo, é muito corrido, você tem que estar em várias pistas quase que ao mesmo tempo.

Olhar as ordens de entrada, esperar os resultados para saber se o seu país vai entrar novamente, prestar atenção no que falam no microfone além de estar junto com o competidor na pré-pista, enfim, muitos detalhes mesmo.



Como chefe de equipe, o que você achou da organização? E qual a diferença entre as edições que você foi?

Cibele A organização da Suécia deu show, tudo muito organizado, sem contar com o staff, muita gente ajudando, sempre tinha alguém para informar o que fosse preciso e todos sabiam tudo. Quanto aos horários, muito precisos. E tinha que ser mesmo, por que eram 650 competidores para três dias de provas.

Bem diferente do EO da Áustria, que eu achei desorganizado, sem contar o clima que não ajudou nada, muita chuva, prejudicando as entradas.

Você já esteve em outras competições internacionais. Qual a diferença do EO para elas?

Cibele Quanto às outras competições, o EO é muito mais fun, uma competição onde parece ser todo mundo igual. Com 650 participantes, o clima é de match e não de uma competição do nível que é. Tem todos os tipos de competidores, do melhor do mundo ao que vai para curtir. Vale a pena ir tanto para ver, quanto para participar!!!



No ar desde:06/05/2013

VOLTAR